Destaques, Moda, Novidades tecnológicas

14 jul

Como a nanotecnologia pode ajudar no desenvolvimento dos calçados?

às 17h34

Sapatos de couro à prova de água e sujeira, palmilhas multifuncionais, tecidos que incorporam dispositivos e microchips e tecidos inteligentes que executam o sensoriamento do corpo humano. No setor calçadista, as oportunidades de uso da nanotecnologia são muitas, sobretudo, no que diz respeito à substituição do couro por novos materiais para cabedal, como poliuretano, têxteis e poliéster.

Nos últimos anos, os produtos desenvolvidos com esta tecnologia, como os citados acima, já são vendidos em escala comercial em todo o mundo. De acordo com os especialistas, a nanotecnologia – micropartícula desenvolvida a partir de diversas fontes – agrega valor aos calçados e gera novas funcionalidades, podendo ser utilizada em praticamente todos os segmentos industriais. Porém, ela necessita ainda de maior interesse por parte das empresas para desenvolver novos produtos.

Os tecidos, por exemplo, são um segmento em que há desde aplicação de substâncias que inibem micro-organismos à proteção contra raios UV. Outros, ainda, têm o efeito Lótus ou superhidrofobicidade, que repele a água e não adere nem forma líquidos sobre a superfície.

Há também sprays que evitam o boleamento (formação de bolhas) e podem ser aplicados tanto em tecidos quanto em couros. Exemplos de aplicação bem-sucedida da nanotecnologia são os chamados enxertos para calçados, cujas nanopartículas de prata são ativadas com o uso e resistem a mais de cem lavadas. Há ainda os que não molham nem sujam, graças à aplicação de um líquido repelente sobre o cabedal.

E engana-se quem pensa que o futuro dos calçados está muito longe. Existem outros produtos em que a nanotecnologia está presente: palmilhas que drenam a umidade do pé e evitam fungos e micróbios, sapato de corrida que não perde a forma durante o uso, luvas resistentes a choques elétricos e repelentes à fiapos, tênis com sola que ajusta-se ao longo da corrida, sensores para solados que convertem pressão em energia e até tênis para corrida noturna com lâmpadas de LED com capacidade para iluminar 1,5m à frente.

E que tal sapatos masculinos que detectam pontos de wi-fi, tênis com GPS (voice indica pontos onde a pessoa está), sapato-táxi (GPS acoplado a um celular conduz a pessoa ao local desejado) e tênis que converte energia mecânica em elétrica (para alimentar um celular, por exemplo)? Não seria nada mal, não é mesmo? O jeito é ficar de olho!

Fonte: Couromoda

Tags: ,

0 Comentários

Faça o seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado


Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>